Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \19\UTC 2015

Nós cristãos, se é que somos o que o nosso Messias nos ensinou a ser ou se quer entendemos sobre, nos gabamos e enchemos o peito para falar que somos templos do Espírito Santo, templos de Deus, excluindo toda e qualquer religião. Enchemos a boca para falar que não existe mais templo de Moisés e o tabernáculo de Davi se foi, pois hoje nós somos habitação de Deus.

Engraçado, pois nem entendemos direito sobre ser habitação de Deus, será que temos sido templos mesmo?
Não estou aqui para falar de passagens bíblicas com textos isolados que falam sobre o assunto abordado ou como você trata o seu corpo físico, mas escrevo no intuito de refletirmos sobre o nosso comportamento.

Vejo ao estudar a Torá como era sério esses momentos da história do povo hebreu e como era pleno e cheio da presença d’Ele aqueles locais, será que somos cheios do Eterno, será que somos plenos, será que a glória d’Ele está em nós?
Se somos o “Templo do Espírito Santo” por que não tem acontecido nada por onde andamos? Sou o primeiro a me incluir nesse comentário, pois sinto que precisamos aprender muita coisa.
Por que não é visível e palpável a presença do Eterno em nós? Que templos são esses que se gabam ao ponto de discriminar outros?

Alguns dos motivos pelos quais creio que estamos longe de nos compararmos com o Templo do Espírito Santo em sua totalidade, mas com toda nossa prepotência.
1. No templo havia rdem: Há ordem em sua vida?

2. No templo havia a Glória de Deus ”Shechinah”, no hebraico peso: Sua vida está com o peso da glória de Deus? Sua vida emana a gloria d’Ele?

3. No templo nada foi criado ou estava ali pelo acaso, tudo tinha um princípio e um propósito: Sua vida há princípios e propósitos ou você vive pelos seu próprios interesses?

4. No templo havia indícios e vestígios de Yeshua, tudo tipificava Cristo: A sua vida há vestígios de Cristo?

5. No templo havia Sacrifício e Confissões de pecado: Sua vida é santa? Você confessa seus pecados? Você anula o sacrifício de Cristo com suas atitudes?

6. No templo havia Pureza: Você é puro de coração, seus pensamento e suas atitudes são puras?

7. No templo havia o Óleo: Óleo é o Combustível para espirito “Shemem huar”. Você tem sido cheio desse óleo diariamente?

8: No templo havia a Lei de Deus: A Lei de Deus está gravada, esculpida em seu coração e em sua mente ou você acha que Ela não existe mais, foi anulada?

9: No templo havia Temor: Você tem temor pelas coisas do Eterno?

10. No templo não havia Sofismas: “Sofisma, partir de um princípio verdadeiro e no final se revela falso”: Quantos dos “cristãos” usam dessa ferramenta?

11. No templo havia Profundidade e Aproximação: “Santidade” significa separar-se do mundo estando no mundo para influenciar outros. Você tem influenciado outros ou afastado?

12. No templo não havia Idolatria: Você é um idólatra? Em qual posição estão o dinheiro e os bens em sua vida? Pare de criticar outras crenças e comece a retirar da sua vida a Idolatria.

13. No templo havia Co-relação com Israel: Qual é a sua postura para com Israel e o povo escolhido? (Em outro momento falarei sobre isso)
Você tem sido realmente um templo do Espirito Santo?
Como disse, não estou aqui para discriminar, denegrir ou me anular do texto, mas quero junto com você refletir como temos vivido uma vida rasa e hipócrita diante do todo Poderoso e declaramos que não. É claro que não somos perfeitos, mas devemos viver em busca disso. Santidade está relacionado com uma busca diária e constante.

Não somos dignos e nem merecedores dessa graça e desse privilégio de ter em nós o Espirito Santo, mas Ele nos enxertou na Videira “Cristo” e nos deu a oportunidade de fazer parte desse plano perfeito e de poder beber dessa seiva.

Tiago Amaral

Read Full Post »

Será que podemos encarar o altar das nossas congregações como um palco de teatro? Será que podemos ser medíocres atores tentando fazer da igreja nossa casa de espetáculos?

Muitos ministros de louvor e ministros da Palavra quando sobem ao altar se transformam em excelentes atores e excelentes intérpretes. Muitos ensaiam seu papel antes de subir, treinam expressões que irão impactar a “platéia”, gestos que demonstram poder e autoridade e olhares que paralisam os ouvintes. É triste dizer isso, mas é o que, de fato, quase sempre acontece.

Muitos perderam o temor a D-us, o temor pela Lei e esqueceram-se do seu devido lugar. Como podemos adorar ao Senhor dessa forma? Como será que O Eterno encara isso?
Será que Ele ri de nós ou simplesmente chora pela nossa falta de seriedade?
D-us não está preocupado com seu talento. Ele te deu talentos, é mais que obrigação aumentar e usá-los na obra d’Ele. Deus não precisa dos seus talentos para cumprir a Sua vontade, mas Ele quer te usar, quer que você faça parte do exército d’Ele, quer que você entenda a preciosidade de servi-LO. É maravilhoso e lindo fazer a vontade d’Ele; é gratificante O servir de todo coração.

A palavra Teatro (do grego Théatron) define tanto o prédio onde podem se apresentar várias formas de artes quanto uma determinada forma de arte. O teatro é uma arte em que um ator ou conjunto de atores interpretam uma história ou atividades, com auxílio de dramaturgos, diretores e técnicos. O objetivo é apresentar uma situação e despertar sentimentos no público. E infelizmente é exatamente isso que temos visto em nossos cultos: verdadeiros teatros, monólogos, e o que mais acho interesante são os musicais – teatros em forma de música.

Não escrevo este artigo para falar mal do teatro ou das artes em geral. Pelo contrário, eu mesmo sou um eterno amante das artes. Admiro e aprecio qualquer tipo de arte. Arte é algo sublime e fascinante, inclusive as artes feitas pelos próprios seguidores do Eterno que têm crescido de forma grandiosa. Mas em se tratando de farsa e manipulação com as coisas de D-us isso se torna intolerável e é muito sério, pois muitos líderes, levitas, pastores etc., estão com esse tipo de comportamento. Eles usam de técnicas para conseguir o que querem e conduzir para onde querem a igreja na qual chamam de “Igreja do Senhor”, fazendo da neurolinguística e dentre outras práticas uma ferramenta para a manipulação.

Precisamos ter temor e reverência pelas coisas de D-us, não agindo de tal forma. Não podemos encarar o altar como um palco de espetáculo. Estamos tão longe da essência do que é realmente o altar e igreja do Senhor! Se analisarmos na Torá e a B’rit Chadashá a respeito disso, veremos o quanto temos que aprender e colocar em prática, pois não adianta somente conhecer sem praticar, a lei de D-us nos aperfeiçoa, devemos ler e estudar, quem a estuda tem a sua alma curada e aperfeiçoada.

Não basta apenas acreditar em algo, devemos demonstrar que cremos obedecendo. Não fazemos isso pois, não entendemos o conceito correto de Fé.
Fé no conceito grego é acreditar.
No conceito hebraico é mais profundo, é obedecer, ser fiel á.

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama. João 14:21

Não basta apenas os ter, temos que vivê-los!
Números 15.40, João 15.10, Deuteronômio 8.1 falam um pouco sobre isso. Precisamos voltar os nossos olhos, nossa mente e coração para a Palavra, estudarmos mais sobre o Tabernáculo de Davi, o Tabernáculo de Moisés e o Templo de Salomão, para entender melhor a grandiosidade e a seriedade das coisas de D-us, e não só isso, mas toda a palavra.
“E o mesmo D-us de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”..
1 Tessalonicenses 5:23

D-us quer santidade e reverência diante d’Ele, isto deve estar em primeiro plano de nossas vidas. Antes de querermos apresentar algum louvor ou qualquer tipo de oferta ou serviço, devemos estar com os corações e mãos limpas.
D-us já está cansado das podridões que chegam diante d’Ele, das farsas que lhe são apresentadas, dos teatros e manipulações dentro das congregações que chamamos D’ELe. D-us quer e exige respeito e santidade. Não podemos chegar à Ele sem santidade; nós somos templo do Espírito Santos de D-us.

Quando D-us disse, “faz-me um santuário que eu possa habitar entre eles” – Êxodo 25:8 No texto original ( Hebraico) é dentro deles. Betoch Binei Israel! Ele nunca habitou no santuário, o que habita é a glória do nome d’Ele.

No conceito Greco Romano os deuses habitam nos templos e esse conceito acabamos herdando dentre tantas outras coisas.
Tudo foi feito para para que o homem fosse santo o suficiente para que D-us pudesse habitar dentro deles, e isso se tornou concreto mediante a uma oferta, Yeshua o Cristo.

Podemos ver a liberdade que D-us entrega ao povo como uma oportunidade de se relacionar com Ele, entender melhor o Seu plano, se tornar conhecido ao povo.

Ao analisarmos todas essas coisas podemos ver a seriedade que representa o altar da congregação em que vivemos. Sabemos que Ele não habita nos templos, mas nossa postura deve mudar. O Eterno tem pressa para realizar sua obra, e ela não deve ser realizada de uma forma pobre, manipulativa ou enganadora. Nossos louvores, nossas pregações e qualquer outro tipo de serviço realizados nas congregações devem ser sinceros e puros diante de d’Ele.

Que O Eterno nos abençoe, e que possamos crescer no conhecimento e na santidade do nosso Senhor, e entendermos como é sério as coisas de D’Ele. Não seja um ator na casa do Senhor, não faça do seu louvor uma peça de teatro, não faça da sua pregação um monólogo onde você centraliza as suas próprias idéias, mas que seja a sua vida particular com o Eterno apresentada no altar.

Precisamos de mudanças, a igreja gentílica precisa se posicionar. Não precisamos de outra Reforma, pois a mesma não fez tudo o que deveria fazer. Precisamos de uma restauração!

Restauração é trazer de volta a sua originalidade, e onde buscaremos essa originalidade?
Por muito tempo buscamos em lugares errados a igreja gentílica precisa voltar as verdadeiras origens e ensinamentos da fé, precisamos voltar para a Torá e a igreja primitiva.

Que o Eterno nos conceda Paz!

Read Full Post »